fbpx

Treino de ouvido básico para músicos

“Eu toco por ouvido”. Quantas vezes já ouviu esta frase? Provavelmente muitas. Sendo músicos falamos um linguagem que é, obviamente, a música. Mas quão bem consegue você entender  esta linguagem quando a ouve? Hoje vamos ver os conceitos básicos do treino de ouvido.

Preciso mesmo de treinar o ouvido?

Sim. Todo o músico precisa. De outra forma é como querer aprender outra linguagem sem praticar. Se não tivermos um ouvido apurado em música é como se fossemos cegos. Ouvimos a música, mas não sabemos as notas ou pelo menos os intervalos tocados. O bom da música é que podemos sentir-nos tocados por ela sem saber o que está a ser tocado. Isto é ótimo, mas como músicos precisamos de ter mais atenção ao que está a acontecer, assim como um cientista quando utiliza um microscópio.

Porque é importante?

Quando você toca com alguém uma de duas coisas irá acontecer: eles dar-lhe-ão um diagrama para ler, ou esperam que escreva a sua parte. De qualquer das formas, ter um bom ouvido é definitivamente útil. As notas têm um valor melódico que todo o compositor deve entender quando compõe. Quanto mais desenvolvido o seu ouvido estiver, melhor irá entender a música que está a ouvir.

Como Desenvolvo o ouvido?

Então, por onde começar? A não ser que tenhamos um ouvido perfeito, teremos de criar uma referência no nosso cérebro que nos ajudará a ouvir a música de uma forma mais detalhada. A primeira coisa que deve aprender são os intervalos: como as notas interagem umas com as outras e, mais importante, a cor dessa interação. Imagine que entra num quarto quando outra pessoa está a tocar uma música na guitarra. Essa música tem um centro, uma tonalidade, uma “casa”. Todas as notas ou acordes que esse alguem tocar irão se relacionar a essa tonalidade de certa forma. Então a primeira coisa que tem de fazer é:

Reconhecer o centro da música.

Não tem de saber o nome da nota, apenas conseguir cantá-la. Oiça esta pequena melodia. A primeira e última notas representam a tonalidade. Veja se consegue cantar essa nota em cima das outras.


É muito importante que independentemente das notas que estão a ser tocadas, você consiga manter a nota da tonalidade na sua mente.

Aprender a reconhecer os intervalos

Como consigo reconhecer todas as notas numa melodia? A resposta é: intervalos. Os intervalos são unidades da música, como os tijolos para construir a sua casa. Uma melodia que vai da tónica (primeira nota) até uma terça maior irá ter sempre a mesma cor, independentemente da tonalidade em que for tocada. Para ganhar confiança com os intervalos, aqui vão dois passos simples:

  • Comece a cantar os intervalos. Independentemente de tocar guitarra, piano ou flauta, deverá sempre praticar a sua escala ou arpejo cantando a nota bem antes de a tocar. Para começar, sugerimos que comece com uma tríade maior arpejada.
  • Mas apenas cantar o intervalo não dará mais nenhuma informação. É como reconhecer a cara de alguem sem saber o seu nome. Para criar a conexão, aprenda a associar todos os possíveis intervalos a músicas que conheça.

Aqui está uma lista de músicas que podem ser usadas para lembrar de intervalos específicos:

  • Segunda maior:  Happy Birthday, Silent Night
  • Terça major:  The number of the Beast, Oh When the Saints
  • Quarta Perfeita:  Here Comes the Bride, Amazing Grace
  • Quinta Perfeita:  Star Wars Theme, Twinkle Twinkle Little Star
  • Sexta major:  Soul Man (guitar intro), Two of Us (by The Beatles)
  • Sétima Maior:  Für Elise, Superman Theme
  • Oitava: Somewhere Over the Rainbow, Immigrants Song

Um vez que o intervalo é tocado logo no inicio da música, é muito fácil relembra-lo. Por exemplo sempre que ouve a uma melodia que vai da tónica à quinta perfeita, ouve o intervalo do tema do Star Wars (0:09 – 0:10).

Como praticar

Vamos ser mais específicos na forma de treinar o ouvido. Se não quer ficar desencorajado após algumas tentativas, aconselhamos a que pratique apenas de 5 a 10 minutos por dia. Comece gradualmente para não sobrecarregar o seu cérebro. Aqui vai uma lista de possíveis exercícios.

1 – Cante os intervalos que se afastam da tónica

Comece por cantar os intervalos que se vão afastando da tónica. Aqui está um exemplo em áudio:

2 – Utilize softwares de treino de ouvido

Compre ou utilize um treino de ouvido online. Aconselhamos vivamente o Earbeater.

3 – Cante arpejos maiores

Especificamente, cante notas de acorde: tónica, terça, quinta. Quanto melhor aprende estes três intervalos, mais sólidas serão as suas aptidões de ouvido. Estes são os “intervalos esqueleto” que precisa ter fixados na sua mente para conseguir depois preencher os espaços vazios entre estas notas. Aqui vai mais um exemplo, no caso Dó maior:

4 – Cante arpejos de sétima

Uma vez que fique confortável com as tríades, comece a cantar arpejos com sétima. A estrutura fica mais refinada, visto que tem 4 notas para memorizar. Aqui está um exemplo:

Reconhecer os acordes

Quando conseguir reconhecer os intervalos pode começar a tentar reconhecer os acordes. Comece por entender a diferença entre a tríade maior e menor, depois vá incluindo outros tipos de acordes, como tetrades. Pode começar a tentar tirar de ouvido músicas simples. Mais tarde começa a tentar transcrever solos. É um questão de treino, você também é capaz.

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.