fbpx

Harmonizar escalas musicais

Neste artigo veremos como harmonizar escalas musicais. Para começarmos esta aula é necessário que já conheça o conceitos de escalas e acordes. Vamos saber: -O que significa harmonizar escalas musicais? Como o nome já indica “harmonizar” vem de criar uma harmonia. Na aula sobre escalas musicais vimos que uma escala é um conjunto de notas musicais e quando escolhemos uma tonalidade significa que vamos trabalhar com as notas que estão nessa escala. Quando toca uma melodia numa escala, essa melodia estará em harmonia com a escala de forma que se tocar uma nota fora da escala ela chocará e causará um efeito não harmonioso.

pack-piano
Pacote completo para aprenderes a tocar piano.

Harmonizar escalas musicais

Além da melodia temos os acordes que são como o pilar da melodia. Estes acordes têm de estar de acordo com o que estamos a tocar, ou seja têm de estar em harmonia com o que estamos a tocar, caso contrário iremos ter um choque de notas que em regra geral terá um som desagradável, conflituoso. Harmonizar escalas musicais então significa que além das notas analisamos os acordes que podemos utilizar numa tonalidade. Ao harmonizar uma escala musical terá nas suas mãos os acordes pertencentes ao campo harmónico escolhido e a partir daí pode partir para a criação. É obrigatório harmonizar uma escala antes de compor? Não. É muito mais benéfico? Sem dúvida. Podemos fazer uma analogia, imagine que tem de consertar um aparelho. Só algumas ferramentas é que conseguem encaixar nesse aparelho, você pode tentar todas aleatoriamente, ou então selecionar aquelas que fazem parte do aparelho e depois utilizá-las porque já sabe que funcionam. Assim acontece com a música. Então vamos lá harmonizar uma escala musical. Em primeiro lugar precisamos, como é óbvio, de uma escala. Vamos escolher por exemplo Sol maior.

Harmonizar a escala de Sol maior

O primeiro passo é saber as notas da escala de Sol maior. Se ainda não saber como encontrar as notas de uma escala musical pode ver a nossa aula anterior circulo de quintas. A escala de Sol maior tem as seguintes notas:

Sol Si Mi Fá# Sol

 

Agora vamos extrair os acordes possíveis nesta escala. Primeiro vamos tirar as tríades e depois veremos os acordes com sétimas noutro artigo para este não ficar demasiado extenso. Para isto deverá saber já os conceitos de tríades maiores, menores, etc. Para isso veja a nossa aula sobre acordes. Para isto utilizamos uma técnica simples, selecionamos uma nota e saltamos uma. Veja no exemplo a seguir:

Sol Si Mi Fá# Sol

 

Primeira nota temos o Sol, saltamos uma e temos o Si, saltamos outra e temos o Ré, então o nosso primeiro acorde tem as seguintes notas:

Sol, Si, Ré – Estas notas compõem a tríade de Sol maior. Repetimos o mesmo processo com as restantes notas da escala. Com a seguinte tabela é bastante fácil harmonizar uma escala. Escreva as notas da escala na primeira linha e na primeira coluna. Depois em cada linha utilize a técnica de saltar uma nota, assim:

Sol Si Mi Fá# Sol
Si Mi
Si Mi Fá#
Mi Fá# Sol
Mi Fá# Sol
Mi Fá# Sol Si
Fá# Sol Si

 

Então, chegamos à conclusão que a escala de Sol maior tem as seguintes tríades:

  • Sol, Si, Ré – Sol maior;
  • Lá, Dó, Mi – Lá menor;
  • Si, Ré, Fá# – Si menor;
  • Dó, Mi, Sol – Dó maior;
  • Ré, Fá#, Lá – Ré maior;
  • Mi, Sol, Si – Mi menor;
  • Fá#, Lá, Dó – Fá# diminuto;

Agora já sabemos o principal, os acordes da escala de Sol maior. Sabendo isto já pode sair a compor qualquer progressão de acordes. Se decidir compor uma música em Sol maior já sabe os acordes que deve tocar, pode experimentar misturá-los até achar uma progressão que lhe agrade. Mas para a nossa harmonização de escala ficar mais completa vamos ver qual acorde é o quê. Já vimos na nossa aula graus da escala que cada nota da escala recebe uma numeração e um nome (tónica, dominante, etc), assim acontece com os acordes, neste caso:

  1. Acorde Tónico – Sol maior;
  2. Acorde Sobre-tónico – Lá menor;
  3. Acorde Mediante – Si menor;
  4. Acorde Sub-dominante – Dó maior;
  5. Acorde Dominante – Ré maior;
  6. Acorde Sobre-dominante – Mi menor;
  7. Acorde Sensível – Fá# diminuto;

Como já vimos também numeramos os graus da escala com numeração romana (I, II, III, IV, V…), no caso dos acordes a numeração pode indicar se o acorde desse grau é maior, menor, diminuto ou aumentado da seguinte forma:

Para acordes maiores utilizamos a numeração em maiúsculas, por exemplo neste caso o primeiro grau é Sol maior, então temos um I em maiúscula. O segundo grau é menor então utilizamos a numeração minúscula, neste caso ii. O nosso sétimo grau é diminuto, a numeração para os acordes diminutos consiste na letra em minúscula com uma bolinha, viiº. Já os acordes aumentados que não temos nesta escala possuem a letra maiúscula com um “+”. Imaginemos o quinto acorde aumentado: V+. Qual a importancia de saber isto? Extrema!! Imagine que um músico lhe diz, e isto costuma acontecer desta forma, para tocar uma progressão I, IV, V em Sol maior. Sabendo os acordes de Sol maior basta ver quais correspondem, neste caso:

I = Sol maior;

IV = Dó maior;

V = Ré maior;

É muito importante habituar-se a este tipo de linguagem no mundo musical. E depois de se habituar verá que não era tão difícil quanto parece no inicio. Esta é uma forma de harmonizar uma escala, com o progresso irá desenvolver outras formas mais avançadas de harmonizar um escala.

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.