fbpx

Pedais de Guitarra: Um Guia Completo

Entre a guitarra e o amplificador, podemos adicionar uma enorme quantidade de sons e timbres. Os pedais de efeitos para guitarra não servem para todos já que alguns guitarristas preferem o som puro do amplificador enquanto que outros simplesmente não gostam de andar de um lado para o outro no palco com algo mais com que se preocupar.

Se estás indeciso sobre que guitarra comprar vê também: Guitarras recomendadas.

Mas os pedais de guitarra têm um papel muito importante na sonoridade final. Existe uma variedade enorme de efeitos que podemos criar com os pedais de guitarra, mas alguns são quase obrigatórios. Dentro dos mais comuns temos os de Delay, Reverb, Distorção e Compressão.


Pedais de Guitarra: Distorção e Overdrive

Overdrive

O overdrive é um efeito que todos os guitarristas adoram utilizar. A ideia de um pedal de overdrive é replicar o som produzido por um amplificador a válvulas quando é puxado. O resultado é uma distorção natural espetacular. Nem todos têm o privilégio de ter um amplificador a válvulas e puxar por ele ao máximo, então um pedal de overdrive é ótimo para alcançar este som. Encontrarás harmónicos lindos, compressão e sustain naturais, assim como uma resposta de baixo de um amplificador a válvulas. Um som indispensável para qualquer fã de rock.

Ibanez TS9

O Ibanez TubeScreamer é um dos mais famosos pedais de overdrive. Com apenas 3 knobs, permite alcançar uma variedade enorme de timbres e o seu som varia dependendo do amplificador em que é ligado. Tem a capacidade de trazer os médios do amplificador a outro nível mas é também muitas vezes usado apenas como um booster. Este é sem dúvida o pedal de eleição.

Fulltone OCD Overdrive V2

O Fulltone OCD é um pedal especial. É à partida um pedal de distorção, no entanto consegue chegar a distorção mais pesada. Este pedal é muito indicado para quem gosta da distorção dos amplificadores Marshall (pensa no Slash). Neste aspeto é o meu favorito.

Distorção

Inicialmente utilizado no rock, a distorção pode oferecer o crunch para a guitarra ritmo, ou o drive e sustain necessário para as linhas da guitarra lead e solos. Estes pedais de guitarra muitas vezes simulam o som das válvulas como o overdrive, mas oferecem harmónicos mais ricos – um som mais suave mas mais pesado. Já os pedais de distorção são muito parecidos aos pedais de overdrive mas oferecem mais ganho e sustain, ideal para o rock e metal, mas certamente não estão limitado a estes.

Boss DS-1

É impossível falar de pedais de distorção sem mencionar o Boss DS-1 que é um pedal clássico de distorção. Ganhou uma enorme popularidade com o Kurt Cobain e se gostas de tocar músicas dos Nirvana este é um must.

KHDK Dark Blood Distortion

A tua onda é o Metal e a distorção pesada? Então este é o teu pedal. Se gostas de Kirk Hammett este pedal tem a sua assinatura. O pedal já tem um gate incorporado para controlar o ruído quando não estás a tocar além da opção de timbre para ritmo ou solos. É um pedal com um hi-gain poderosíssimo além do seu aspeto respeitável.

Fuzz

Imagina espetar um lápis no altifalante do teu amplificador. O resultado seria um timbre bem crespo como em “You Really Got Me” dos Kinks. Os pedais de fuzz recriam este som de um altifalante de amplificador furado. Jimi Hendrix usava o pedal de fuzz constantemente. É difícil pensar no som dele sem pensar no efeito fuzz. O som do fuzz é uma distorção bem saturada e cheia. É aquele tipo de distorção que não te permite tocar acordes pois os harmónicos vão chocar demasiado entre si.

Electro Harmonix Little Big Muff Pi

O Little Big Muff é um pedal de Fuzz que já cá anda há bastante tempo e não é por acaso. Foi um dos primeiros a ser criado e recria muito bem o som da distorção natural das válvulas. O sustain é poderosíssimo. Vários guitarristas utilizam ou utilizaram este pedal como o Santana, David Gilmour e Jimi Hendrix.


Pedais de Guitarra: Compressor

Um compressor é como um controlo de volume, restringindo o sinal de entrada global, limitando a quantidade de variação entre os sons mais altos e mais baixos. Utilizados muito em estúdio, também funcionam bem como pedal. Os compressores suavizam igualam o volume de saída da guitarra independentemente do volume de entrada. Os compressores são utilizados principalmente na guitarra solo; se tocares com muita suavidade o volume sairá com um bom volume, se tocares com muita força este não sairá exagerado.

Wampler Ego Compressor

Uma das desvantagens que os compressores podem trazer é modificar demasiado o timbres final. O Wamprel ego dribla essa desvantagem com um knob de blend que permite que mistures o sinal não processado com o sinal original para teres o timbre a teu gosto. Além disso traz também o knob de sustain que é tão importante para os nossos solos!


Pedais de Guitarra: Modulação

Pedais de Modulação são pedais que alteram o som da guitarra de várias formas. Dentro da modulação os efeitos mais comuns são:

Flanger

Os primeiros efeitos de flanger foram criados em estúdios ao tocar o som numa cassete enquanto o engenheiro usava o dedo na bobine do leitor de cassetes para acelerar ou desacelerar o sinal duplicado. Isto produzia o som característico do flange.

Phaser

phaser é bastante similar ao Flanger mas menos intenso. O phaser é uma técnica de processamento de sinal utilizado para filtrar um sinal ao criar uma série de picos e baixos no espectro de frequências. A posição dos picos e dos baixos é normalmente modulada para que variem com o tempo.

Chorus

Os pedais de guitarra chorus são uma ótima forma de engrossar o seu som. Ao pegar no sinal original que está a tocar e adicionando-lhe um segundo, ligeiramente atrasado (milisegundos) e desafinado sinal, o resultado soará à duplicação da guitarra a ser tocada. Toca acordes com este pedal e parecerá que estão múltiplos guitarristas a tocar quando existe apenas um. Um bom exemplo disto é a introdução de “Paradise City” dos Guns ‘n’ Roses.

Tremolo

Os pedais de tremolo modulam o volume das guitarra, movendo rapidamente o volume.

BOSS MD-500 Pedal Modulação Premium

O BOSS MD-500 não é barato mas percebe-se perfeitamente o preço quando olhamos para as suas características. Isto é quase um homestudio dentro de um pedal. Temos todos os efeitos de modulação e mais alguns. São 28 no total. Além de teres a capacidade de criar os teus efeitos com milhares de variações e com 297 bancos para gravares todos os timbres que desejares. Podes ver todas as características no botão em baixo:


Pedais de guitarra: Delay e Reverb

Delay

Os pedais de guitarra Delay são essenciais para solos. Basicamente, o sinal original é gravado e reproduzido novamente depois de um certo período de tempo definido por nós. Podes escolher a quantidade de repetições e a rapidez com que se dão estas repetições. Este pedal dá uma vida enorme à guitarra solo. Os primeiros pedais essenciais seriam o de distorção/overdrive e este.

Reverb

Imagina que estás numa Igreja. Quando falas, a tua voz é refletida nas paredes, no teto, no chão, nas janelas e o resultado deste eco é chamado reverb. O pedal de reverb recria este tipo de eco. Este efeito é ótimo para dar mais cor e textura à tua guitarra.

MXR M169 Carbon Copy Analog Delay

Este é o pedal que eu utilizo. O carbon copy simula o som de um delay analógico. Capacidade de atraso até 600ms, o knob de mix que eu adoro. Há ocasiões onde quero só um cheirinho de outras onde quero uma experiência completamente envolvente. Uma característica única é a opção de ativar uma pequena modulação que dá um efeito completamente diferente ao pedal.

BOSS RV-6 Pedal Reverb Digital

O Boss Rv-6 é um pedal compacto e super versátil que te permite criar uma enorme variedade de ambiências. Este pedal trás uma série de reverbs clássicos (Spring, plate, hall room…) e os modos Shimmer, Dynamic e Delay+Reverb para criar texturas únicas no som. Além disso tens a possibilidade de o ligar em stereo para uma ambientação única.


Pedais de guitarra: Efeito Wah

Um wah ajusta o timbre numa frequência variável, como um filtro de equalização. O pedal é ajustável e numa extremidade cria um som mais agudo, bom para solos “gritantes”. Já na outra extremidade, o resultado é um som mais grave, mais grosso. Este pedal pode ser utilizado de duas formas, podem ser tocados levando-o de extremidade a extremidade, criando o famoso efeito wah ou podes utilizar como um equalizador. Se desejares um som mais gritante, colocas o pedal no lugar e deixa-lo assim, e vice-versa.

Dunlop Crybaby 95Q

O Crybaby dispensa apresentações. É um pedal que foi utilizado por inúmeros guitarristas de rock da época áurea deste estilo. As diferenças entre o crybaby e o wha wha tem que ver mais com as frequências que estes cortam ou intensificam. Isso já fica a gosto de cada um.

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Acesso Livre a Cursos Online

Garante o acesso livre a todos os cursos de guitarra com 65% de desconto!