fbpx

Como improvisar sobre acordes na guitarra III

Neste artigo vamos ver como improvisar sobre acordes com sétima. No último artigo vimos como escolher as escalas para improvisar em cima de acordes maiores, menores e suspensos. Agora vamos passar para o terceiro passo, como improvisar em cima dos acordes com sétima. Iremos seguir exatamente o mesmo processo que anteriormente, mas desta vez precisamos de identificar se os acordes são maior 7, menor 7 ou acorde com sétima dominante. Isto irá determinar quais escalas e quais os intervalos podemos utilizar no improviso.

No nosso tutorial sobre acordes com sétima pode ver como são feitos os acordes com sétima.

Improvisar em cima de acorde maior com sétima maior

Os acordes maior sétima consistem na tríade: Tónica(1), terça(3), quinta(5) e um intervalo extra – a sétima maior(7). Estes acordes têm um som distinto, normalmente descrito como som de “sonho”. Aqui estão os dois formatos mais comuns dos acordes maior sétima:

Conheça o nosso Pack especial de guitarra. Curso iniciante + curso intermédio. Clique aqui.

Acorde 7MAcorde 7M

O acorde maior com sétima maior é abreviado com “maj7”, por exemplo Emaj7. Se vir este acorde já sabe do que se trata. Isto significa que qualquer escala que escolhamos para tocar em cima de um acorde maior com sétima maior, tem de incluir a sétima maior ou então não pode ter nenhum tipo de sétima. Por exemplo, o modo Mixolídio contém uma sétima menor (b7), então não será compatível com um acorde maior com sétima maior. As duas escalas mais comuns com sétima maior são a escala maior/modo jônio:

Escala maior guitarra

E o modo Lídio:

Modo Lídio

E como a escala pentatónica maior não tem sétima, também é compatível com este acorde, pois não há nota que crie dissonância com a sétima:

Escala pentatónica maior

Experimente tocar qualquer destas escalas em cima de um acorde com sétima maior para conseguir perceber a sua sonoridade.

Improvisar sobre acordes dominantes

Os acordes dominantes são feitos dos intervalos (T, 3, 5) e uma sétima menor (b7), também chamada de sétima bemol. Os acordes dominantes, tríade maior com sétima menor, são abreviados simplesmente com um 7, por exemplo: A7, C7, B7. Um exemplo dos formatos de acorde dominante:

Acorde dominante guitarra

Para improvisar em cima deste acorde temos de procurar escalas com sétima menor. Então podemos utilizar o modo mixolídio:

Modo mixolídio guitarra

Ou algo mais tenso como o Lídio dominante:

Modo lídio dominante guitarra

Ou o frígio dominante:

Modo frígio dominante

Também podemos utilizar a pentatónica maior, de novo, já que esta não tem sétima.

Improvisar sobre acordes com sétima menor

Como o nome sugere, os acordes com sétima menor são tríades menores: Tónica, b3, 5 e uma 7ª bemol, também chamada de sétima menor. Os acordes com sétima menor são abreviados como “m7”. Aqui estão algumas escalas que poderíamos utilizar:

Como é lógico a escala menor natural:

Escala menor natural

O modo dórico:

Modo dórico guitarra

ou simplesmente a escala pentatónica menor. Repare que apenas duas notas diferenciam a escala pentatónica menor do modo dórico, a segunda e a sexta:

Escala pentatónica menor

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.