fbpx

3 Riffs na escala pentatónica

Agora que já aprendemos um desenho da escala pentatónica, vamos tocar alguns riffs baseados na escala pentatónica menor de Mi. Ao contrário dos riffs que aprendemos noutra aula que utilizavam apenas a última corda, estes riffs são tocados em várias cordas. A maior vantagem disto é que temos uma sonoridade mais ampla de notas à nossa escolha numa pequena zona da guitarra.

Os seguintes três riffs utilizam a síncope (saltamos batidas), o que os torna mais interessantes. Assegure-se que entende bem o ritmo antes de começar a tocar. Faça a contagem sempre com o seu pé a bater no chão. Provavelmente terá dificuldades em apanhar o ritmo correto só com a pauta, por isso oiça os exemplos para entender o ritmo dos riffs mais facilmente, mas não deixe de analisar a pauta para os entender.

[alert color=”red” icon=”fa-music”]Conheça o nosso Pack especial de guitarra. Curso iniciante + curso intermédio. Clique aqui.[/alert]

Riff 1

Não se esqueça que uma nota com uma ligadura soma a duração da nota seguinte. Assim a quarta nota no primeiro compasso deve começar no “e” da contagem da segunda batida e permanecer até ao “e” da quarta batida. Áudio a 70 bpm:

Áudio a 100 bpm:

Riff na escala pentatónica

 

Riff 2

Aqui mudamos de corda com a palhetada alternada, por isso é um pouco complicado de inicio, comece bem lentamente. Praticar com um metrónomo é essencial para desenvolver um bom sentido rítmico. Selecione um tempo baixo como 60bpm e vá aumentando gradualmente quando for conseguindo tocar melhor. Áudio a 70bpm:

Áudio a 90bpm:

Riff na escala pentatónica

 

Riff 3

Este riff é muito sincopado, portanto tente aprender bem o ritmo antes de o tocar. Áudio a 70bpm:

Áudio a 95bpm:

Riff na escala pentatónica

 

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.