fbpx

Como criar um refrão com energia

Refrões que sejam chatos, em quase todas as situações, têm um problema com a variação da melodia. De repente pode deparar-se com a situação quando compõe a sua música, em que o verso soa bem, mas o refrão parece ter falta de energia. Pode ser difícil encontrar a causa do problema, mas quase sempre é devido a problemas da variação melódica. Essa falta de energia torna-se aborrecida para o ouvinte. A boa notícia é que a solução normalmente é relativamente fácil. Aqui estão os pontos que deve considerar quando achar que o refrão tem pouca energia:

  1. Compare a variação melódica do verso e do refrão. Pegue num papel e anote qual a nota mais grave e qual a nota mais aguda do verso. Depois faça o mesmo para o refrão. Deverá notar uma diferença distinta. A melodia do refrão deve estar num registo mais agudo que o verso. Ouça “Someone Like You” da Adele para ter uma boa demonstração deste princípio. Existem algumas excepções em que na verdade o refrão é mais grave, mas será mais difícil.
  2. Mova a melodia para mais agudo. À medida que a música progride, consegue um bom efeito se as melodias se forem tornando mais agudas.
  3. Encontre o momento climático. Todas as secções de uma música terão um momento climático – uma nota mais aguda normalmente – que recebe a maior parte da atenção. O momento climático no refrão deve ser a nota mais aguda de toda a música. Ocasionalmente a nota mais aguda da ponte será ainda mais aguda que a do refrão, no entanto o momento climático do refrão deve oferecer uma satisfação musical considerável ao ouvinte.

Tratar destes três pontos já deverá resolver os seus problemas quando à sua composição de músicas “chatas”.  Não se esqueça, para saber se a sua música tem problemas a serem resolvidos utilize os seus ouvidos. Estes são o melhor juiz e a melhor avaliação que pode ter.

Segredos da composição musical

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.