fbpx

Como criar boas linhas de baixo – Parte 2 (C/Vídeo)

No passado artigo sobre como criar linhas de baixo vimos a utilização da tónica do acorde e da oitava. Se não viu esse artigo veja aqui. Neste artigo iremos ver mais dois tipos de técnicas para criar as suas linhas de baixo. Não esquecendo que deverá ter pelo menos uma base dos conceitos de escalas, acordes e progressões de acordes.

Utilização da tónica e da quinta

Esta técnica traz-nos linhas de baixo que incorporam mais notas do acorde além da tónica. A mais comum é a utilização de tónica e quinta, que como o nome indica são notas que fazem parte de um acorde. Após a tónica, a quinta é uma das notas mais importantes do acorde. Junto com a oitava, representa outra forma de alcançar variedade utilizando as notas de um acorde. A utilização de tónica e quinta é universal, sendo que pode ser utilizada em qualquer tipo de música. Como este tipo de linha de baixo não utiliza a terça do acorde, pode ser tocado tanto num acorde maior como num acorde menor. Vamos utilizar a mesma progressão de acordes do artigo anterior, Lá menor, Ré menor e Mi maior, terminando em Lá menor. Cada acorde está num compasso, as imagens indicam onde está cada acorde:

Linhas de baixo

Pode fazer isto com uma infinidade de ritmos, isso fica por conta da sua imaginação.

Utilização das tríades

Se já está familiarizado com o conceito de acorde já pôde perceber pelo nome como esta técnica funciona. Este tipo de linhas de baixo utilizam as três notas do acorde. “Tríade” significa acorde com três notas. A ordem das notas a serem tocadas pelo baixo é completamente arbitraria, fica à sua imaginação assim como o ritmo, estes são só exemplos simples da sua utilização:

Linhas de baixo

Parte 3

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.