fbpx

10 Concertos Que Terminaram em Tragédia

A hipótese de haver um desastre aumenta sempre que uma multidão se junta. Especialmente quando álcool e drogas se combinam a este cenário. Hoje vamos ver quando as coisas correm mal nos concertos.

10. Woodstock 1999

Em 1999 o festival woodstock foi marcado por violência, violações e vandalismo. A tensão aumentou quando o vocalista Fred Durst, incentivou a multidão a não abrandar à medida que os fãs destruíam tudo o que conseguiam. Quantas pessoas aqui já acordaram um dia e decidiram que era um daqueles dias vão partir algumas coisas? Bem, este é um desses dias. O pior ainda estava por vir quando foram distribuídas velas que seriam acesas durante a música Under The Bridge tocada pelos Red Hot Chilli Peppers.

As velas foram acesas, mas não foram usadas para o bem do espectáculo. Ironicamente, na música de fecho a banda fazia um cover da música Fire do Jimi Hendrix. E a multidão decidiu usar as velas para pegar fogo a tudo o que conseguisse. No fim foram feitas 44 detenções, 10 000 pessoas necessitaram de atendimento médico e houve 8 denúncias de violações.

9. Turné de Guns and Roses e Metallica.

8 de Agosto de 1992, Canadá. Durante o concerto o vocalista dos Metallica James Headfield sofre um acidente pirotécnico e é levado de urgência para o hospital, o que resultou no final prematuro do concerto. Tudo piorou quando a banda GunsnRoses que atuava de seguida se atrasou duas horas e o vocalista Axl Rose terminou o concerto prematuramente alegando problemas de som e com a sua voz. A multidão enfurecida destruiu tudo o que se cruzava no seu caminho. Os danos só no estádio rondaram os quatrocentos mil dólares, sem contar com os estragos que se seguiram nas ruas.

8. Turné de Damageplan

8 de Dezembro de 2004. Duran

te um concerto da banda Damageplan, um ex marine esquizofrénico disparou contra o famoso guitarrista Dimebag Darrell, enquanto este estava a no palco com a sua nova banda. Depois, disparou para o público assassinando mais três pessoas antes de um agente da polícia abater o assassino. Pelo menos mais duas pessoas ficaram feridas.

7. Turné dos The Who

3 de Dezembro de 1979. Durante um concerto dos The Who, onze fãs perderam a vida esmagados, quando tentavam entrar no evento. Lá fora os fãs ouviram o som do checksound, e acreditaram que o concerto tinha começado. Desesperados tentaram entrar no recinto quando as portas ainda se encontravam fechadas, dando origem à tragédia.

6. Festival Love Parade

24 de Julho de 2010, Alemanha. A tragédia deste ano garantiu que o festival anual Love Parade chegaria ao fim. Nesta edição o festival atraiu um milhão de pessoas, apesar da capacidade máxima ser de apenas 250 mil. Infelizmente quinhentas pessoas foram feridas e 21 morreram ao serem pisadas ou sufocadas enquanto utilizavam o túnel sobre-lotado para tentar chegar à parada.

5. Incêndio no Beverly Hills Supper Club

28 de Maio de 1977. O Beverly Hills Supper Club estava sobre-lotado para assistir à atuação de John Davidson. Por volta das nove horas da noite, mesmo antes de John subir ao palco, deflagra um incêndio dentro do edi

fício. Os bombeiros tentaram conter as chamas à medida que as pessoas tentavam evacuar o espaço. Infelizmente muitas pessoas sucumbiram por inalação de fumo. Enquanto os bombeiros combatiam as chamas, o teto do edifício cedeu e a esperança de resgatar mais sobrevive

ntes caiu por terra. 164 pessoas perderam a vida. A investigação atribuiu os seguintes factores desta tragédia: Sobre-lotação; Saídas de emergência inadequadas; Instalação elétrica deficiente; Más práticas de construção; Má atuação das autoridades reguladoras, já que tinham conhecimento das deficiências.

4 – Incêndio no clube noturno The Station

20 de Fevereiro de 2003. 100 pessoas perderam a vida e 230 ficaram feridas num dos incêndios mais destruidores em clubes noturnos da história. Uma negligência absurda levou a que fossem colocados elementos pirotécnicos de uso exterior, dentro do clube. A pirotecnia foi usada na abertura de um concerto da banda Great White. As paredes eram revestidas de material para isolamento acústico altamente inflamável. A tragédia era garantida. Trinta segundos após o início do fogo todo o palco tinha sido engolido pelas chamas. A maioria dos 460 ocupantes fugiram pelo estreito corredor que dava acesso à entrada frontal. Rapidamente a entrada ficou congestionada com pessoas aterrorizadas a tentarem escapar em simultâneo.

Algumas perderam a vida esmagadas à medida que o público, em pânico, tentava escapar às chamas e ao fumo que se aproximava. Com este caos, a porta da frente tornou-se uma confusão de corpos já que dezenas de pessoas se empilhavam em cima de outras numa tentativa desesperada de escapar. Em cinco minutos e meio todo o edifício estava em chamas levando a vida de uns e arruinando a vida de outros. A investigação concluiu que o clube não tinha o sistema de extinção de incêndios obrigatório instalado e que este teria conseguido travar o fogo o tempo suficiente para que as pessoas abandonassem o local em segurança. Mais tarde os donos do clube e o manager da banda Great White foram acusados de homicídio involuntário.

3 – Massacre no Bataclan

13 de Novembro de 2015. Dentro do teatro Bataclan em Paris atuava a banda Eagles of Death Metal. Durante a hora do concerto Paris foi alvo de vários ataques terroristas reivindicados pelo Estado Islâmico. Um dos ataques e o que fez mais vítimas foi dentro da sala de espectáculos Bataclan onde decorria o concerto. Na sala cerca de noventa pessoas perderam a vida e mais de cento e oitenta se incluirmos os ataques no exterior. Segundo a polícia, antes dos ataques várias pessoas já tinham sido mutiladas pelos terroristas dentro do Bataclan.

2 – Incêndio na Boate Kiss

27 de Janeiro de 2003. Dentro da boate Kiss na cidade de Santa Maria, Brasil, decorria a festa Agromerados organizada por estudantes universitários. A lotação rondava entre 500 a 1000 pessoas. Durante a madrugada o vocalista da banda Gurizada Fandangueira utilizou um sinalizador pirotécnico. As faíscas atingiram o teto da boate e mais uma vez inflamou o material de isolamento acústico. Demorou apenas três minutos para que o fumo invadisse toda a boate. De início não houve comunicação entre os seguranças do palco e os da entrada que bloquearam a passagem pensando que se tratava de uma rixa.

Além disso o pagamento na boate era feito na saída o que levou os seguranças a pensar que queriam sair sem pagar. Várias pessoas confundiram as portas da casa de banho com as portas de emergência e por isso 90% das vítimas perderam a vida lá dentro. O desastre fez duzentas e quarenta e duas vítimas mortais, a maioria por asfixia. Oito militares perderam a vida a tentar resgatar vítimas inconscientes de dentro da boate.

1 – Incêndio no Cocoanut Grove

28 de Novembro de 1942, Boston. O incêndio em concerto mais fatal da história teve lugar no clube noturno cocoanut grove. No andar de baixo, Goody Goodelle, uma jovem pianista e cantora, atuava num palco giratório rodeado de palmeiras artificiais. Um repentino incêndio irrompeu pelo clube tirando a vida a 492 pessoas. Algumas foram esmagadas, engolidas pela multidão em pânico. Outras foram apanhadas completamente desprevenidas, encontradas sem vida nas suas mesas ainda com as bebidas na mão, mortas tão rapidamente pelo fumo que não tiveram tempo de reagir. Conheces mais casos destes? Comenta aqui em baixo.

Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.