Como tocar guitarra: Guia definitivo do que precisa saber

Como tocar guitarraAprender como tocar guitarra é provavelmente uma das experiências mais enriquecedoras deste mundo. No entanto é muito fácil sentir-se esmagado pela quantidade de informação quando pesquisa o termo “como tocar guitarra“. O caminho na aprendizagem da guitarra exige persistência, paixão, saber lidar com a frustração e muita disciplina. Mas apesar da dificuldade, a sensação de conquista que obtém quando aprende como tocar guitarra, é uma das mais prazerosas que irá sentir. Neste artigo vou mostrar tudo (essencial) o que precisa de saber para aprender a tocar guitarra. A ordem que aqui apresento é boa, no entanto a mesma pode ser alterada dependendo dos seus objetivos específicos. Vou falar apenas brevemente sobre cada um dos pontos seguintes, mas irei mostrar links se quiser aprender mais a fundo cada um destes. Então vamos lá ver tudo o que precisa saber para aprender como tocar guitarra.

Como tocar guitarra: O Guia Definitivo

1. Anatomia da guitarra e Postura

Como tocar guitarra

C

omecemos pelo início. Se queremos aprender como tocar guitarra então temos definitivamente de conhecer a guitarra. Existem três tipos de guitarra principais: A guitarra acústica (violão popular em Português do Brasil), a guitarra clássica (violão clássico no Brasil) e a guitarra elétrica. A guitarra acústica e clássica são ambas guitarras acústicas, a principal diferença é que na guitarra clássica as cordas são feitas de Nylon, e na guitarra acústica popular as cordas são de aço. Como as cordas da guitarra clássica são feitas de Nylon, fisicamente são mais fáceis de tocar para quem nunca tocou. Estes dois tipos de guitarra são feitas de corpo em madeira oco, braço, cordas, trastes, e tarraxas. O som é produzido pelo corpo oco que funciona como caixa de ressonância.

As guitarras elétricas diferentemente das anteriores têm um corpo sólido (exceto alguns modelos). Estas guitarras contêm os chamados captadores que captam a vibração das cordas e a enviam para um amplificador através dum cabo ligado à guitarra, e é este amplificador que vai reproduzir o som. As guitarras elétricas por norma são fisicamente mais fáceis de tocar. Para ver mais em pormenor a anatomia da guitarra clique no seguinte link: Anatomia da guitarra.

A postura é algo prioritário. Uma má postura pode causar lesões e atrasar o seu progresso na guitarra. Existem três posturas principais: A postura clássica, a postura sentada, e a postura em pé. Para ver cada uma delas clique no seguinte link: Postura na guitarra. Se você está a aprender como tocar guitarra é também essencial aprender a afinar o seu instrumento: Como afinar a sua guitarra.

2. Aprender como ler diagramas de acordes e tablaturas

Nos primeiros passos a aprender como tocar guitarra você vai aprender a tocar os seus primeiros acordes. Sendo assim é extremamente importante que aprenda a ler diagramas de acordes. Um diagrama de acordes é uma representação gráfica do braço da guitarra que lhe indica quais as casas da guitarra deve apertar, veja aqui: Como ler diagramas de acordes.

As tablaturas também são uma notação específica para guitarra. As tablaturas consistem num desenho com seis linhas horizontais que representam as cordas da guitarra. Nessas linhas são escritos números, e esses números indicam a casa que deve tocar na corda correspondente. Esta notação é ótima, pois além de poder representar acordes, também pode mostrar linhas melódicas, como solos. Como ler tablaturas. Você pode encontrar milhares de cifras em: Cifras e Cifraclub. Se deseja encontrar Tablaturas de alta qualidade então experimente o Songsterr.

3. Acordes abertos

Como tocar guitarraOs acordes são conjuntos de três ou mais notas. Acordes “abertos”, significa que são acordes na primeira região do braço da guitarra, e contêm notas nas cordas “soltas” (cordas onde não se aperta nenhuma casa). Aprender os acordes básicos, na minha opinião, deve ser logo o primeiro passo para aprender como tocar guitarra. Isto porquê? Ao aprender apenas 5 formatos de acordes, você já está apto a tocar centenas de músicas, e isso é extremamente importante para manter a motivação de quem quer aprender como tocar guitarra. Na verdade, quem quer aprender a tocar guitarra, quer tocar músicas e não fazer apenas exercícios.  Sendo assim, comece logo por aprender a tocar os acordes abertos principais. Veja aqui alguns exemplos: Primeiros acordes a aprender na guitarra.

4. Ritmos e dedilhados

Independentemente de você querer tocar música erudita ou popular, guitarra acústica ou elétrica, deve aprender alguns ritmos e dedilhados básicos. Os ritmos na guitarra acústica de cordas de aço e na guitarra elétrica costumam ser tocados com palheta. Pode ver aqui como segurar a palheta: Como segurar a palheta. Os dedilhados são muito usados na música erudita e no flamenco. Mas também são utilizados em todos os tipos de música. Os dedilhados têm a vantagem de soar bastante melódicos, o que torna algo simples em algo muito bonito.

5. Repertório

Não subestime a importância de criar o seu repertório. Isto irá aumentar a sua motivação e se lhe pedirem para tocar alguma coisa você já tem material preparado e ensaiado.

Quando já tiver aprendido a tocar os seus acordes abertos, alguns ritmos e alguns dedilhados, pode começar a montar o seu repertório. Basta escolher uma lista de músicas que goste e procure as cifras das mesmas. Lentamente decore as progressões de acordes das músicas e toque-as com os acordes abertos. Montar um repertório é um passo bastante importante para quem está a aprender como tocar guitarra. Como já disse anteriormente, tocar músicas mantém a nossa motivação em alta. Se passar o tempo todo a praticar técnicas acabará por ficar cansado e desmotivado. Crie uma lista de músicas simples que goste de tocar e aprenda-as. Aproveite e surpreenda os seus amigos ou familiares em ocasiões festivas e divirta-se! Veja aqui como ler cifras.

6. Acordes com sétima, com pestana, power chords, add, suspensos

Os acordes mais simples são chamados tríades. Depois das tríades, pode começar a aprender tocar mais tipos de acordes. Existem vários tipos de acordes e vou agora mostrar cada um deles e a ordem que considero que deve aprender cada um:

  1. Acordes com pestana: Os acordes com pestana são tríades que não contém cordas soltas. A grande vantagem deste tipo de acordes é que pode tocar qualquer acorde em qualquer região do braço da guitarra. A desvantagem é que de início estes são difíceis de executar devido à força necessária do dedo indicador. A boa notícia é que com prática diária irá conseguir tocar este tipo de acordes em pouco tempo. Aprenda a tocar este tipo de acordes e estará apto a tocar milhares de músicas. Os dois tipos mais comuns de acordes com pestana são: -Em formato Mi e em formato de Lá. Veja aqui, acordes com pestana.
  2. Acordes suspensos: Os acordes suspensos são acordes sem terceira (teoria mais à frente), o que faz com que este acorde seja ambíguo, ou seja, não é maior nem menor. Para ser mais técnico, nos acordes suspensos a terceira é substituída pela quarta ou pela segunda, mas não vamos entrar aqui em teoria. Aprender os acordes suspensos na posição aberta é uma ótima forma de dar variedade aos acordes normais. Aprenda estes acordes e dê mais interesse às suas progressões. Este assunto é abordado no meu curso de guitarra.
  3. Power Chords: Se você deseja tocar principalmente rock e todo o tipo de música com muita distorção, então aprender os power chords deve ser a sua prioridade. Os power chords são dos mais fáceis de tocar, mas nem por isso são piores. Estes acordes também não utilizam terceira, e como só utilizam a tónica e quinta, têm um som bastante direto e forte, o que os torna perfeitos para música mais agressiva. Este assunto é abordado no meu curso de guitarra.
  4. Acordes com sétima: Depois das tríades (acordes com três notas) temos as tétrades (acordes com quatro notas), e nestes temos os acordes com sétima. Os acordes com sétima têm um som bastante característico e usados na ocasião certa dão uma riqueza enorme à música. Os três tipos de acordes com sétima mais comuns são: Acorde com sétima maior, acorde com sétima menor, Acorde com sétima dominante. Estes são os acordes com sétima que deve aprender. Aprenda primeiro os acordes na posição aberta, e depois os formatos com pestana, e estará apto a tocar qualquer um destes acordes com sétima em qualquer região do braço da guitarra. Este assunto é abordado no meu curso de guitarra ou pode ver a teoria no nosso tutorial: Acordes com sétima.
  5. Add: Além das sétimas podemos adicionar praticamente qualquer nota a um acorde. As notas mais comuns são acordes com 9ª, 11ª e 13ª adicionadas. Estes são acordes mais avançados, mas se você quer aprender como tocar guitarra e ter um nível avançado, pondere aprender e dominar este tipo de acordes.

7. Estilo

B. B. KingO ponto anterior deve ser influenciado por este. O estilo que pretende maioritariamente tocar irá definir quais os tipos de acordes onde se deve focar mais. Por exemplo, se for tocar música pesada, é obrigatório que aprenda os power chords. Os acordes com pestana devem ser dominados independentemente do seu estilo. Se deseja tocar jazz por exemplo, os acordes com sétima e com mais notas adicionadas são essenciais. Eu sou da opinião que mesmo que se queira dedicar a um estilo, você deve aprender um pouco dos outros, mesmo que seja apenas de uma forma superficial. Temos sempre algo aprender com outros estilos para implementar no nosso próprio e sermos ainda mais criativos. Então aplique-se mais intensamente num estilo, mas experimente mais uns três ou quatro pelo menos e aprenda o essencial desses estilos. Valerá o esforço.

 

8. Escalas musicais

Bom se você já aprendeu isto tudo mas pretende ainda ir mais longe e deseja improvisar e compor as suas próprias músicas, então deve começar a estudar escalas musicais. Apesar de não ser obrigatório saber escalas musicais para criar uma música ou até improvisar, este é um assunto que o irá ajudar imenso nesse processo. De uma forma extremamente simples, uma escala musical é um conjunto de notas, é como um mapa que lhe irá oferecer as opções de notas que pode tocar numa determinada tonalidade. Esse conjunto de notas soará bem.

Na guitarra é normal que comecemos por aprender as escalas através de formatos (padrões). E isto é bom, mas mais tarde deve procurar conhecer os intervalos musicais de cada escala. As escalas mais comuns utilizadas por guitarristas são:

  • Escala pentatónica: Esta é de longe a escala mais utilizada pelos guitarristas, principalmente no blues e rock. A beleza desta escala é que só contém 5 notas, e essas cinco notas soam extremamente bem umas com as outras. Para começar a criar os seus primeiros improvisos aconselho-o a aprender a escala pentatónica. É mais fácil e dar-lhe-á mais motivação. Veja: Escala pentatónica.
  • Escala de Blues: A escala de blues é igual à escala pentatónica mas com mais uma nota. Esta nota cria um efeito extremamente agradável em determinados estilos musicais, como o blues e rock. Quando já dominar a escala pentatónica aprenda onde se encontra a blue note (nota adicionada). Veja: Escala de Blues.
  • Escala maior: A escala maior é a rainha das escalas na música ocidental. Esta escala contém sete notas, e o seu uso no improviso deve ser mais cuidadoso, pois ao contrário da escala pentatónica tem notas que podem ser dissonantes (que colidem) com as notas do acorde que esteja a tocar. Veja: Escala maior.
  • Escala menor: A escala menor é outra escala extremamente importante. A escala menor é das escalas mais utilizadas em todo o tipo de música ocidental. Em regra geral esta escala tem um som mais “pesado”, menos “feliz”. Existe mais que um tipo de escala menor. Existe a escala menor natural, a escala menor harmónica e a escala menor melódica. Veja: Escala menor.
  • Modos gregos: Se pegarmos numa escala musical e a iniciarmos e acabarmos numa nota diferente, acabamos com uma escala com intervalos diferentes. Estas escalas terão um intervalo que é característico e único nelas. Focar nesse intervalo específico irá criar uma sonoridade única, indicando que a melodia está nesse modo. Ver: Modos Gregos.
  • Escalas exóticas: As escalas exóticas, quando bem utilizadas, trazem uma sonoridade única e espetacular. No entanto, aconselho-o a aprender primeiro as escalas anteriores, e que só aprenda este tipo de escala se deseja mesmo uma sonoridade exótica. Deixe este tipo de escala para quando você já for um guitarrista mais avançado.

9. Técnicas

Este é um ponto que deve começar também logo de inicio, mas dependendo do estilo que estiver a tocar existem algumas técnicas na guitarra que deve focar. Vamos olhar para as técnicas essenciais e outras que são opcionais dependendo do seu gosto:

  • Hammer on / Pull Off: O hammer on e o pull off são técnicas essenciais para quem toca guitarra. Esta técnica consiste em tocar uma nota sem utilizar a mão direita. O Hammer on consiste em tocar uma nota e com outro dedo martelar outra nota mais aguda. Já o pull off consiste em tocar uma nota e dar uma puxada na corda com o dedo para tocar uma nota mais grave. Veja: Hammer on e Pull off.
  • Slide: Esta também é uma técnica essencial. O slide consiste em deslizar o dedo da mão esquerda de uma nota até outra, sem a necessidade de utilizar a mão direita para tocar a segunda nota. Veja: Slide.
  • Bend: Para quem toca guitarra elétrica esta é uma técnica essencial e das mais agradáveis e expressivas. O bend consiste em tocar uma nota e empurrar a corda para tencioná-la e atingir outra nota. Esta técnica simula a voz humana dando à guitarra um som altamente expressivo. Veja: Bend.
  • Palhetada alternada: Esta também é uma técnica utilizada pela maioria dos guitarristas. Isto consiste em tocar as notas palhetando sempre no movimento cima-baixo, mesmo quando muda de corda. Veja: 9 dicas para treinar a palhetada alternada.
  • Sweep-picking: A técnica sweep picking é muito utilizada por quem toca metal. Esta técnica é utilizada principalmente com arpejos, que é um acorde mas tocado nota a nota. A técnica consiste em tocar todas as notas com um movimento da palheta ascendente ou descendente entre as cordas. Ou seja, toca as notas todas nas seis cordas deslizando a palheta para cima ou para baixo.
  • Dedilhados: Se você deseja tocar guitarra clássica então ter uma técnica avançada no dedilhado é essencial. Independentemente do estilo, é importante ao menos ter uma técnica razoável nesta técnica. Veja: Dedilhados.

10. Licks

Se você deseja improvisar na guitarra, então é extremamente importante aprender licks. O que são licks? Basicamente os licks são pequenas linhas melódicas. Estas linhas melódicas são um mote para desenvolver ideias em torno da mesma. Experimente ouvir várias músicas do seu guitarrista favorito. Provavelmente irá ouvir ideias melódicas semelhantes em mais que uma música. Isso são licks. O que fazer com os licks? Em primeiro lugar aprenda um lick que lhe agrade e pratique-o várias vezes. Com o tempo esta ideia melódica irá sair automaticamente quando estiver a improvisar. Depois o que deve fazer é criar variações neste lick como, mudar algumas notas, mudar o ritmo, acrescentar notas, etc. Quando já tiver aprendido mais que um lick, comece a criar ideias para passar de um lick para o outro. Isto leva-nos ao próximo ponto para aprender como tocar guitarra. Veja: Licks o que são e porque devemos aprendê-los.

11. Improviso

Os licks servem para aplicar no seu improviso ou mesmo se quiser compor solos. Ninguém pode ensiná-lo a improvisar, pois um improviso é isso mesmo, um improviso. No entanto existem alguns passos que deve seguir para assegurar que o seu improviso soe bem. Em primeiro lugar é saber qual a escala que está a utilizar. Como disse, se você estiver a tocar dentro de uma tonalidade, as notas da escala irão soar sempre bem (mesmo que o improviso não seja grande coisa). Também é bom que tenha alguns licks na sua mente, pois estes vão ajudá-lo a criar algo interessante.

Quando você já for um guitarrista mais avançado deve começar a pensar em improvisar por acorde. O que significa isto? Quando você está a improvisar numa música, existe uma progressão de acordes a tocar por trás, ou seja a harmonia da música. As melhores notas para repousar o seu improviso quando está a tocar é exatamente uma das notas do acorde que esteja a ser tocado nesse momento. Isto é algo difícil de fazer, mas a boa notícia é que só exige uma prática diária. Veja o seguinte artigo para melhorar o seu improviso: Porque o seu improviso não soa a música.

12. Transcrição

A capacidade de transcrever músicas é das capacidades mais importantes para qualquer músico.

Transcrever músicas é algo que deve ser praticado logo desde início apesar de estar um pouco no fundo desta lista. Transcrever músicas refere-se ao ato de aprender uma música através de ouvido. Esta é uma das capacidades mais importantes de um músico. Não subestime a capacidade de tirar músicas de ouvido. Nos dias atuais esta arte tem sido cada vez menos desenvolvida devido à facilidade que temos de encontrar as cifras ou tablaturas de músicas. Mas um ouvido treinado é essencial para se tornar um bom músico.

Pense em todas as grandes lendas da guitarra. Sabe o que todos têm em comum? Eles não tinham internet ou meios de aprender músicas. Aprendiam quase tudo de ouvido. Estes artistas têm um ouvido altamente musical, o que além de lhes dar a capacidade de transcrever músicas também lhes permite criar grandes músicas. Comece a transcrever pequenos solos, e músicas simples. Eu já recomendei o que considero ser o melhor software de auxilio à transcrição musical. Pode ver aqui: Transcribe!

13. Teoria Musical

Aprender como tocar guitarra passa pela teoria musical. Muitas pessoas, principalmente quem procura como tocar guitarra, têm aversão à teoria musical. Há quem diga que a teoria musical não serve para nada, há quem diga que a teoria musical mata a criatividade, enfim várias desculpas para tentar escapar. A verdade é que a teoria não é um conjunto de regras, é sim uma explicação de como a música funciona e porque é que funciona da maneira que funciona. A teoria musical foi desenvolvida através da análise de várias composições ao longo dos anos. Se há algo que a teoria musical pode fazer por si é acelerar o seu progresso e ainda auxiliá-lo no seu processo criativo. A teoria musical é um mundo gigante, mas vou apenas referir aspetos essenciais se quiser aprender como tocar guitarra a sério:

Intervalos Musicais

Os intervalos musicais são a base de toda a teoria de escalas, acordes e etc. Com um conhecimento claro dos intervalos musicais você conseguirá tocar qualquer escala ou acorde sem a necessidade de decorar cada um. O conhecimento dos intervalos também lhe auxiliará imenso no improviso e composição, pois você terá um conhecimento de como as notas interagem umas com as outras. Veja: Intervalos musicais.

Escalas musicais

Com o conhecimento dos intervalos musicais você pode encontrar qualquer escala musical, irá entender os modos gregos, e poderá modificar as escalas que já conhece para seu proveito. Veja: Escalas musicais.

Acordes

Como também dissemos anteriormente, dominando os intervalos você pode montar qualquer tipo de acorde. Você nesta fase deverá estudar como os acordes e as escalas se relacionam, e entender a harmonia musical. Veja: Acordes.

Ler partituras

Ler partituras é essencial para quem deseja tocar música clássica. Guitarristas populares muitas vezes não sabem como ler partituras, mas qualquer pessoa irá beneficiar em saber ler partituras nem que seja apenas o básico. Veja: Como ler partituras.

  Conheça também: Teoria musical fundamental

14. Amplificadores e efeitos

Este ponto serve para quem deseja aprender como tocar guitarra elétrica. A guitarra elétrica é altamente versátil e o seu som pode ser processado de diversas formas. Primeiro comece pelos amplificadores. Existem três categoria principais de amplificadores:

  • Amplificadores a transístor: Estes amplificadores são mais baratos, no entanto a distorção do transístor é menos agradável para a maioria dos guitarristas. Este tipo de amplificador têm a vantagem de ser mais resistente;
  • Amplificadores a válvulas: Estes amplificadores são mais caros mas a distorção é amada pela maioria dos guitarristas. Estes amplificadores são mais frágeis devido às válvulas;
  • Amplificadores de modulação: Este tipo de amplificador simula o som de outros amplificadores. Hoje em dia já existem bons amplificadores de modulação.

Além dos amplificadores existem vários pedais de efeitos. Você deve procurar conhecer os efeitos mais usados como: Delay/Reverb, Distorção, Chorus/Flanger, Compressor, Wah Wah.

15. Composição musical

Por fim, se você deseja compor as suas próprias músicas, aprender composição musical é essencial. A composição musical por si só é um mundo gigantesco. Tenha em mente que a composição musical e a teoria musical andam de mãos dadas. Pode ver os nossos artigos sobre composição musical e conheça também o livro Segredos da composição musicalNeste momento você já sabe com certeza como tocar guitarra.

Comentários

Comentários

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!