“Fadiga mental” e a Melhor Coisa a Fazer Na Pausa de um Treino

25 Abril, 2017 Blog 194 Visualizações

Estejamos a praticar, a estudar, ou a fazer qualquer outra actividade que exija concentração, chegará um ponto em que o nosso cérebro começa a ficar fatigado. Os nossos pensamentos começam a ficar um pouco confusos e é difícil pensar de forma produtiva e criativa.

Fazer pausas é uma aspecto importante para mantermos a produtividade e evitar esta “fadiga cerebral”, seja na divisão clássica 50/10, a 25/5 ou a 52/17. Mas o que devemos nós fazer durante a nossa pausa para melhor nos prepararmos para o nosso próximo bloco de actividade e conseguir a máxima performance? Comunicar com amigos? Facebook? Ver vídeos engraçados no youtube? Ler um livro? Dar uma caminhada? Dormir uma soneca?

Melhorar a Criatividade

Existem indicações de que o exercício pode melhorar a criatividade e outros processos cognitivos. O que é ótimo, mas para a maioria das pessoas existe uma falta de motivação para iniciar uma corrida.

Sabendo isto, investigadores de Stanford conduziram uma série de estudos para descobrir se caminhar seria suficiente para melhorar a nossa capacidade mental.

Começaram por pegar em 48 participantes e pedir-lhes que completassem um teste de criatividade enquanto estavam sentados ou enquanto caminhavam numa passadeira.

O teste consistia em criar uma lista de ideias para utilizar um objecto comum, e é uma forma de medir a “flexibilidade cognitiva” ou a capacidade de evitar ficar mentalmente bloqueado numa categoria. Por exemplo, quando mostrado um “botão”, um participante respondeu usos alternados para ele como “uma maçaneta para uma casa de bonecas, um olho para uma boneca, um objecto para ir marcando o nosso caminho”.

Sentado vs Caminhando

81% dos participantes melhoraram a sua performance no teste quando estavam em movimento, gerando cerca de 50% mais ideias que os que estavam sentados. E não melhorou apenas a quantidade de ideias, também inventaram ideias mais criativas.

Um estudo que se seguiu descobriu que este aumento de criatividade durou para além do curto espaço de tempo em que os participantes se encontravam em movimento. Existe um efeito residual, sendo que os participantes continuaram a experimentar um aumento da sua criatividade mesmo depois de se voltarem a sentar e a fazer outro teste.

Então, ao invés de largares o teu instrumento musical e sentares-te a descansar, uma pequena caminhada é uma melhor forma de te preparares para os próximos 25 ou 50 minutos de estudo.

Onde Caminhar?

Isto significa que devemos dar voltas ao nosso quarto? Ou devemos sair para a rua para conseguir o melhor da nossa caminhada?

Os estudos apontam que o lugar onde caminhamos pode ser um factor importante para combater a fadiga cerebral.

Um grupo de investigadores Escoceses estava curioso sobre o impacto dos diferentes ambientes no nosso estado mental. Particularmente na diferença entres espaços “verdes” perto da natureza relativamente a ambientes com mais pessoas, movimentados, urbanos.

Então equiparam 12 Estudantes da Universidade de Edimburgo com capacetes de EEC, e pediram-lhes que fizessem uma caminhada de 2.5Km por diferentes zonas de Edimburgo enquanto o capacete media a sua actividade cerebral.

A primeira parte da caminhada levou-os por uma zona comercial urbano, como muitas pessoas, edifícios e algum tráfego. A segunda parte da sua caminhada foi por uma grande zona de natureza com grandes espaços abertos, árvores, relvados. E a última parte foi por uma zona comercial com muito tráfego, pessoas e muito ruído.

Urbano Vs Natureza

Analisando as leituras de cada porção da sua caminhada, os investigadores descobriram que caminhar pelo parque reduziu os indicadores de stress, e facilitou um estado mais meditativo. Por outras palavras, espaços verdes são mais restauradores que caminhar pela cidade.

Outros estudos no campo da psicologia ambiental têm observações semelhantes, o que parece sugerir que os espaços naturais ajudam-nos a recuperar do stress e a restaurar as nossas capacidades de atenção.

Agir

Quem nunca sentiu um alívio mental depois de fazer actividade física mesmo que não estivesse com vontade de iniciá-la? Então da próxima vez que praticares ou estudares e comeces a sentir esta “fadiga mental” tenta sair e fazer uma pequena caminhada. Não por zonas caóticas cheias de distrações que vão puxar a tua atenção.

Opta por uma zona calma, perto da natureza onde a tua mente possa simplesmente relaxar.

Por: Noa Kageyama

Sobre o autor

Artigos relacionados

0 Comentários

Ainda sem comentários

Podes ser o/a primeiro/a a comentar este post!