fbpx

Dicas de motivação Para Tocar Guitarra

Nem sempre se sente com vontade de ir à guerra e derramar sangue e suor pelo seu instrumento? Neste post vamos falar sobre motivação. Mas primeiro… Você já toca

o seu instrumento, seja ele guitarra, piano, violino, etc… à algum tempo e por vezes sente-se trancado na mesma rotina. Está preso nos mesmos obstáculos e começa a pensar se alguma vez conseguirá melhorar. Já começa a ficar cansado quando pensa naquela troca de acordes difícil, ou naquele solo terrível. Agora pergunte-se a si mesmo porque quis começar a tocar o seu instrumento.

No que estava a pensar naquela altura? Qual era o seu objetivo? Ou estaria a pensar “Bom, vou pegar no instrumento, ter algumas lições, talvez praticar as primeiras 3 semanas enquanto estou entusiasmado e daqui a um ano tudo se desenvolve por si só”.

Bom na verdade era bom que assim fosse, no entanto terá de continuar a praticar continuamente para avançar. E é claro todos nós temos altos e baixos, mas vão sempre aparecer momentos em que temos de dar um pontapé na nossa própria bunda para seguir em frente.

É tudo uma questão de prioridades, reservar aquela meia hora do dia, e não se sentir culpado por gastar esse bocado de tempo para se desenvolver. Persiga o prazer e a satisfação de um maravilhoso mundo de treino no seu instrumento.

Vamos ver algumas chaves na motivação:

  • Quem é que lhe inspira quando toca o seu instrumento? Você tem um modelo a seguir, um artista que lhe dá vontade imediata de pegar no seu instrumento e começar a tocar. Uma música que o excita. Utilize esses modelos a seu favor.
  • Treinar é recompensador. Praticar é realmente trabalho duro. Pode ser divertido, frustrante, mas também emocionante. Se trabalhar duro numa música e após umas horas, dias ou semanas consegue executa-la, há pouquíssimas coisas que consigam bater esse sentimento.
  • Dê o primeiro passo. Se no momento não estiver com a disposição de praticar, a sua mente provavelmente já está a imaginar todo o processo de trabalho árduo, dor e dificuldades. A sua mente já criou 100 desculpas para você não treinar hoje. O nosso cérebro é realmente bom nisso, não caia nessa armadilha. Pense no seu objetivo, na recompensa, no sentimento. Dê o primeiro passo. Pegue no seu instrumento, sente-se e comece por tocar qualquer coisa simples, depois de alguns minutos a sua vontade será outra.
  • Aponte no papel. Utilize um papel planeado com um tempo determinado do seu dia para treinar. Comprometa-se. Apontar os seus objetivos, e a sua rotina faz uma tremenda diferença.
  • Crie um espaço de treino privado algures na sua casa. Prepare tudo o que precisa para treinar e deixe sempre organizado no mesmo sitio.
  • Deixe o seu instrumento visível. Não deixe a sua guitarra no saco. O seu cérebro reage ao ver os objetos, deixar o seu instrumento visível dar-lhe-á mais vontade de o tocar.
  • Torne o treino num hábito diário para que entre na onda. É como ler um livro. Se ler algumas páginas e três dias depois ler mais algumas é difícil acompanhar o livro. Um dos segredos do progresso está na prática diária. Quando estiver na onda verá, que se motivará todos os dias. As coisas tornam-se mais fáceis e claras.
  • Não fique preso. Quando está a treinar uma coisa em particular há muito tempo e não está a conseguir dê um tempo. Não fique preso mas não se deixe desanimar. Pratique outra coisa e volte a treinar isso mais tarde. Irá notar que melhora a cada vez que o faz.
  • Saia das espirais negativas. Você treinou duas semanas de forma eficaz e agora está a voltar a cair na desorganização e procrastinação. Está a deixar-se ir a baixo. Não se preocupe. Recomece de onde acabou, Você é humano. Perdoe-se a si próprio e continue a dar chances. Não caia no erro de dizer “pronto não consigo”, isso não existe. Você é tão capaz como qualquer campeão. Se cair 80 vezes levante-se 81!
Ricardo Frade

https://www.facebook.com/RicardoF.Guitarra/

Professor de guitarra e criador da Academiamusical.com.pt, Ricardo Frade é um apaixonado pela música e pretende incentivar o estudo da música em Portugal e Países Lusófonos.

O seu instrumento primário é a guitarra. O instrumento secundário é o piano. É aficionado por bandas sonoras instrumentais, área onde ambiciona atuar. Trabalha com ensino musical, produção musical e deseja conseguir contribuir para a dinamização do ensino da música em Portugal.

Deixa aqui um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.