Como se livrar do materialismo

14 Maio, 2015 0 Comments Blog 307 Views
Como se livrar do materialismo

CapitalismoA academiamusical, além da música, preocupa-se com os assuntos sensíveis a todas as pessoas, de forma que temos também uma palavra a dizer sobre vários temas. Desta forma utilizamos esta área do site, o blog, para falar de outros assuntos que não sejam diretamente relacionados com música, mas que indiretamente acabam sempre por estar ligados.

A nossa sociedade atualmente é regida pelo estilo de vida escravizado das 9 às 5. Pedaços de papel controlam todos os nossos movimentos. Desde o momento que nascemos, somos instruídos pelos nossos pais, pelo nosso sistema de educação, pelos media, que o sucesso é definido por ganhos materiais. A felicidade, contentamento, e relacionamentos são ganhos secundários. Como a nossa cultura valoriza mais o sucesso material, vivemos atualmente num mundo que é escravizado pelo dinheiro.

Escravidão é quando o seu trabalho não é mais uma oportunidade de avanço económico mas ao invés disso é um acto de mera auto-preservação. A maioria das pessoas é possuída pelos seus desejos materiais, e passam a sua vida inteira a tentar pagar as dívidas que contraíram para compras, e contas que se acumularam ao longo dos anos. Se você está a ler isto, há uma boa chance de estar a trabalhar das 9 às 17 e farto desse trabalho. Talvez você esteja preso psicologicamente num mundo de números e preocupações materiais e deseje ver-se livre desta escravidão material.

Seja qual for a sua situação, a verdade é que a vasta maioria das pessoas que estão a ler isto estão com dívidas, trabalham longas horas, e estão programadas pela publicidade a comprar coisas que não precisam. A boa notícia é, lá por viver numa sociedade consumista não significa que tenha de viver uma vida consumista. Aqui vão três formas de se livrar do materialismo e reclamar a sua alma:

1. Deixe a corrida dos ratos

CapitalismoQuem escreveu a regra que diz que temos de trabalhar das 9 às 17 de segunda a sexta-feira? Quem escreveu a regra que temos de nos graduar na escola e saltar diretamente para um trabalho a tempo inteiro? Quem escreveu a regra que diz que temos de passar 40 anos da nossa vida a trabalhar a tempo inteiro e que só nos podemos reformar aos 60 ou 70 anos?

Você não tem de fazer o que a sociedade pensa que deve fazer, e você não tem de fazer o que os seus pais acham que deve fazer. Se está cansado da “corrida dos ratos”, então abandone. Ninguém está a apontar uma pistola à sua cabeça forçando-o a trabalhar 40 horas por semana num trabalho que não gosta. Mas as contas têm de ser pagas, certo? Isso leva-nos ao próximo ponto.

2. Não viva para impressionar

DinheiroA única razão para termos de trabalhar 40 horas por semana, é para comprarmos coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos, para impressionar as pessoas à nossa volta. Como fomos ensinados que o sucesso é definido em termos materiais, pensamos que temos de acumular tantas posses quanto possível. Se cortar nas suas despesas para metade e viver para si, apenas tem de trabalhar metade das horas que trabalha agora.

Você precisa mesmo de financiar aquele carro novo? Ou pode comprar um usado? Você precisa mesmo de morar numa casa de 200 m2? Você precisa mesmo da nova televisão topo de gama? Do novo IPhone? Do portátil topo de gama?

Muitas das vezes, nós escravizamo-nos porque o nosso ego quer ser visto como bem sucedido aos olhos das outras pessoas. Definimos o nosso sentido de valor de acordo com o que as outras pessoas pensam de nós. Com isto, muitas pessoas vivem com dívidas atrás de dívidas. Esta perseguição de auto-glorificação do ego é o que nos faz ser escravos do dinheiro e nos rouba a paz e felicidade. E isto leva-nos ao próximo ponto.

3. Transcenda o material

Meditação

Não se defina em relação às outras pessoas, aos bens materiais que possui, ou ao estilo de vida que leva. Defina-se em relação à sua relação consigo mesmo. Você sente-se preenchido internamente? Você sente-se em paz consigo mesmo? Se não se sentir, como pode isso ser chamado de sucesso?

Quando você experimenta algo que é mais profundo que o material, o mundo material passa a ter uma importância completamente diferente para si. Claro não deve ignorar por completo o mundo material, todos temos necessidades básicas, todos temos de comer e ter um teto para viver. Mas para além das necessidades básicas verá que mais nada é estritamente essencial. Uma vez que experimente o estado de graça e paz interior, ou a comunhão com o universo e a natureza, deixará de depender dessa perseguição aos bens materiais. Já olhou nos olhos de um monge Budista? A felicidade está estampada no seu rosto, e não andam atrás de bens materiais. Não estou com isto a dizer para você ser um Budista, acredito que você deve seguir aquilo que faz sentido para si, e que o faz sentir-se realmente em paz consigo mesmo.

A mesma cultura que nos diz que o sucesso é medido por bens materiais é também a mais infeliz, mais obesa, mais stressada, mais doente. O suicídio é atualmente a 10ª principal causa de morte na América. Provavelmente uma grande percentagem das depressões se deve a este estilo de vida, movido a material, com vazio espiritual, e escravizado por um pedaço de papel.

Não tem de viver a escravidão do capitalismo, materialismo ou consumismo. Deixe essa corrida, viva para o que faz sentido para si, procure o que lhe preencha, experimente praticar meditação, e irá abrir-se para um novo mundo de possibilidades que nem sabia que existia.

Comentários

Comentários

About author

Related articles

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!