O guia dos pedais de guitarra

4 Agosto, 2015 0 Comments Guitarra 1040 Views
O guia dos pedais de guitarra

Entre a guitarra e o amplificador, você pode adicionar uma enorme quantidade de sons e timbres. Para alguns guitarristas, irá chegar uma altura em que um som ou efeito particular é necessário para puxar o som e criar algumas texturas interessantes. Os pedais de efeitos para guitarra não servem para todos, os puristas do timbre recusam-se a utilizá-los, acreditando que cada pedal suga uma certa percentagem de timbre do sinal natural da guitarra. Outros simplesmente não gostam de andar de um lado para o outro no palco com algo mais com que se preocupar (O Slash resolveu este problema ao arranjar alguém para apertar os pedais por ele!). Depois, claro, existem músicos, como um puro músico de Blues, que simplesmente não precisa de uma pilha de efeitos.

Mas depois temos aqueles que adoram pedais. A verdade é que os pedais de guitarra são divertidos! Você pode produzir quase qualquer som que deseje com a tecnologia disponível. Ao testar alguns, irá logo descobrir do que gosta e do que não gosta. Em baixo temos um guia com os principais pedais de guitarra e o que eles fazem. Ficaram de fora alguns pedais mais óbvios como afinadores e equalizador.

Pedais de guitarra: Distorção e Overdrive

Overdrive

O overdrive é um efeito que todos os guitarristas adoram utilizar. A ideia de um pedal de overdrive é replicar o som produzir por um amplificador a válvulas quando é puxado. O resultado é uma distorção natural espétacular. Nem todos têm o privilégio de ter um amplificador a válvulas e puxar por ele ao máximo, então um pedal de overdrive é ótimo. Irá encontrar harmónicos lindos, compressão e sustain naturais, assim como uma resposta de baixo de um amplificador a válvulas. Um som indispensável para qualquer fã de rock.

Distorção

Inicialmente utilizado no rock, a distorção pode oferecer o crunch para a guitarra ritmo, ou o drive e sustain necessário para as linhas da guitarra lead e solos. Estes pedais de guitarra muitas vezes simulam o som das válvulas como o overdrive, mas oferecem harmónicos mais ricos – um som mais suave mas mais pesado. Os pedais de distorção são muito parecidos aos pedais de overdrive mas oferecem mais ganho e sustain, ideal para o rock e metal, mas certamente não estão limitado a estes.

Fuzz

Imagine espetar um lápis no altifalante do seu amplificador. O resultado seria um timbre bem crespo como em “You Really Got Me” dos Kinks. Os pedais de fuzz recriam este som de um altifalante de amplificador furado. Jimi Hendrix, usava o pedal de fuzz a toda a hora. É difícil pensar no som dele sem pensar no efeito fuzz.

Pedais de guitarra: Compressor

Um compressor é como um controlo de volume, restringindo o sinal de entrada global, limitando a quantidade de variação entre os sons mais altos e mais baixos. Utilizados muito em estúdio, também funcionam bem como pedal. Os compressores suavizam o volume de saída do que está a tocar e mantém tudo ao mesmo nível de volume. Os compressores são utilizados principalmente na guitarra solo; se tocar com muita suavidade o volume irá sair como se tocasse com mais força.

Pedais de guitarra: Modulação

Flanger

Os primeiros efeitos de flanger foram criados em estúdios ao tocar o som numa cassete enquanto o engenheiro usava o dedo na bobine do leitor de cassetes para acelerar ou desacelerar o sinal duplicado. Isto produzia o som característico do flange.

Phaser

phaser é bastante similar ao Flanger mas menos intenso. O phaser é uma técnica de processamento de sinal utilizado para filtrar um sinal ao criar uma série de picos e baixos no espectro de frequências. A posição dos picos e dos baixos é normalmente modulada para que variem com o tempo.

Chorus

Os pedais de guitarra chorus são uma ótima forma de engrossar o seu som. Ao pegar no sinal original que está a tocar e adicionando-lhe um segundo, ligeiramente atrasado (milisegundos) e desafinado sinal, o resultado soará à duplicação da guitarra a ser tocada. Toque acordes com este pedal e parecerá que estão múltiplos guitarristas a tocar quando existe apenas um. Um bom exemplo disto é a introdução de “Paradise City” dos Guns ‘n’ Roses.

Tremolo

Os pedais de tremolo modulam o volume das guitarra, movendo rapidamente o volume.

Pedais de guitarra: Pitch Shifter

Os pedais pitch shifter são muito interessantes. Estes pedais pegam no sinal que você está a tocar e recriam um sinal diferente numa nota diferente e toca os dois ao mesmo tempo. Por exemplo, se escolher ter um pedal definido nas terceiras, o resultado será a nota que está a tocar mais a terceira dessa nota.

Pedais de guitarra: Delay e Reverb

Delay

Os pedais de guitarra Delay são ótimos. Basicamente, o sinal original é gravado e reproduzido um um certo período de tempo. Você pode escolher a quantidade de repetições e a rapidez com que se dão estas repetições. Este pedal dá uma vida enorme à guitarra solo. Os primeiros pedais essenciais seriam o de distorção/overdrive e este.

Reverb

Imagine que está numa Igreja. Quando fala, a sua voz é refletida nas paredes, no teto, no chão, nas janelas e o resultado deste eco é chamado reverb. O pedal de reverb recria este tipo de eco. Este efeito é ótimo para dar mais cor e textura à sua guitarra.

Pedais de guitarra: Efeito Wah

Um wah ajusta o timbre numa frequência variável, como um filtro de equalização. O pedal é ajustável e numa extremidade cria um som mais agudo, bom para solos “gritantes”. Na outra extremidade, o resultado é um som mais grave, mais grosso. Este pedal pode ser utilizado de duas formas, podem ser tocados levando-o de extremidade a extremidade, criando o famoso efeito wah. A segunda forma é utilizar como um equalizador. Se desejar um som mais gritante, coloca o pedal no lugar e deixa-o assim, e vice-versa.

Comentários

Comentários

About author

Related articles

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!